HMJMJ Institui o Núcleo de Segurança do Paciente

Paciente-Seguro

PORTARIA Nº 17/2015

A Direção do Hospital Maternidade Jesus Maria José, Considerando a Resolução da Diretoria Colegiada RDC 36 da ANVISA de 25-07-2013, que institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde, dentre elas a constituição de um Núcleo de Segurança do Paciente;

Resolve:

Artigo 1º – Fica criado no âmbito deste Hospital, o Núcleo de Segurança do Paciente.

Artigo 2º – O Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) tem como finalidade estabelecer políticas e diretrizes de trabalho, a fim de promover uma cultura hospitalar voltada para a segurança dos pacientes, através do planejamento, desenvolvimento, controle e avaliação de programas e tecnologias, que visem garantir a qualidade dos processos na Instituição.

 Artigo 3º – Nomear os seguintes membros para compor o Núcleo de Segurança do Paciente:

  • Rosiley Lopes Saraiva – Diretora Geral
  • Irmã Orsolina Puntel – Diretora Operacional
  • Francisco Martins de Mesquita – Diretor Clínico
  • Joana Darc Carlos de Holanda – Gerente de Enfermagem
  • Jamylle Ricardo Costa – Coordenadora do NSP
  • Aída Gomes Magalhães Ehbrecht – Vice Coordenadora do NSP
  • Shirley Teixeira de Araújo – Enfermeira Supervisora
  • Genízio Holanda – Gerência Administrativa
  • Paulo Stênio Fernandes Júnior – Farmacêutico
  • Rozana de Sousa Silva – Assistente Social
  • Francisca Leidiane Santos Leandro – Nutricionista
  • Newlene Maria Nunes Magalhães – Fisioterapeuta
  • Francisca Guadalupe da Silva Feijão – Psicóloga
  • Regina Telma Patrício Leitão – Técnica de Segurança do Trabalho
  • Natália Cristina de Sousa – Coordenação Recepção
  • Andréia Silva Lima – Biomédica

Artigo 4º – São atribuições do Núcleo de Segurança do Paciente:

I – Elaborar, implantar, divulgar e manter atualizado o Plano de Segurança do Paciente;

II – Acompanhar as ações vinculadas ao Plano de Segurança do Paciente;

III – Identificar pontos críticos para a segurança dos pacientes (diagnose);

IV – Aprovar e implantar os Protocolos de Segurança do Paciente e realizar o monitoramento dos seus indicadores;

V – Definir políticas, diretrizes e estabelecer barreiras para a prevenção de incidentes nos serviços de saúde;

VI – Direcionar e acompanhar as ações advindas dos subcomitês de segurança do paciente;

VII – Elaborar e viabilizar junto à Administração a implementação de ações para instituir sistemas mais seguros.

Essa Comissão tem o objetivo de formalizar ações a serem implantadas para prevenir a ocorrência de eventos adversos que possam prejudicar os pacientes.

Metas Internacionais

1. Identificar corretamente o paciente

Confirme a identidade dos pacientes antes de realizar exames e procedimentos.

Fique atento!

Evite erros. Confira sempre dois ou mais dados do paciente. Você também pode colocar pulseira ou etiqueta para facilitar a identificação.

2. Melhorar a comunicação entre profissionais de saúde

Registre no prontuário todas as informações referentes ao cuidado, aos procedimentos e às condutas realizadas com o paciente.

Fique atento!

Ao receber ou transmitir informações sobre o paciente, principalmente em momentos críticos, em transferência de unidades e em passagem de plantão, repita-as e certifique-se de que houve compreensão da mensagem.

3. Melhorar segurança na prescrição, no uso e na administração de medicamentos

Antes de administrar qualquer medicamento verifique: paciente certo, medicamento certo, hora certa, via certa, dose certa e anotação correta.

Fique atento!

Nos medicamentos potencialmente perigosos e de alta vigilância, faça a dupla checagem na dispensação, no preparo e na administração. Utilize etiquetas auxiliares com cores ou sinais de alerta diferenciados.

4. Realização de cirurgia segura em sitio cirúrgico, procedimento e paciente corretos

Antes de qualquer cirurgia, verifique o local, o funcionamento dos equipamentos e os procedimentos necessários.

Fique atento!

Nunca se esqueça de fazer o checklist cirúrgico e documentar no prontuário: avaliação pré-anestésica, anamnese, exame físico, consentimento informado e identificação precisa do paciente. Quando possível, envolva o paciente no processo.

5. Higienizar as mãos para evitar infecções.

Adote a higienização correta e constante das mãos para prevenir infecções.

Fique atento!

Higienize as mãos:

  1. Antes de tocar o paciente;
  2. Antes de realizar o procedimento limpo/asséptico;
  3. Após risco de exposição a fluidos corporais;
  4. Após tocar o paciente;
  5. Após tocar superfícies próximas ao paciente.

6. Avalie os pacientes em relação ao risco de queda e úlcera por pressão, estabelecendo ações preventivas

Avalie os pacientes em relação ao risco de queda, bem como as instalações físicas e a assistência prestada.

Fique atento!

Pacientes sob efeito de medicamentos precisam de atenção redobrada. Avalie o ambiente, as condições de acessibilidade e de locomoção de pacientes. Realize a mudança de decúbito. Paciente e acompanhante devem receber orientações.

Em Resumo:

Segurança do Paciente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *